Número total de visualizações de página

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Até que a luz me abrace

Até que a luz me abrace

De vez em quando o farol vem-me beijar
É naqueles dias em que somente o céu
As estrelas e eu
Vivemos nos braços do mar

Do mar... Amar

E o silêncio do cais
Anuncia mais uma viagem
Ventos que me trazem coragem
Num pedido de amor e nada mais

No mar... Amar...

A luz do farol não me deixa adormecer
Eu quero vislumbrar a caravela ao alto
... Tudo pode acontecer
Tudo pode ser verdade naquela escuridão
Um pulsar que canta em sobressalto
Na esperança de olhar na imensidão
E sentir naquela caravela
Uma luzinha amarela
A candeia que ilumina o meu coração

No mar... Amar...

De vez em quando o farol anuncia
Velas e mastros
Luas e astros
Aquele amor que acontece à luz do dia
Já que naquela noite o amor se perdeu
Não foi ela... Não fui eu...
É que este amor não é um qualquer
É amor... Que vem na luz do meu farol
Um amor sem igual
Por ser a esperança... De uma mulher


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.