Número total de visualizações de página

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Quero continuar contigo

Quero continuar contigo

Não vou parar o tempo
É impossível este manusear da terra
Translação e rotação sentida no perfume do vento
Sentida no mar, sentida no céu, vivida na serra

Vem…

O tempo não espera

Não vou estancar os ponteiros, que fazem as horas passar
É impossível e incessante
Parar a qualquer instante, o movimento da vida
O movimento do corpo, sentido nos olhos que não vou vendar

Vem…

Vem ver

Os olhos de azul esverdeado que goza esta luz penetrante
Não vou colocar a despedida
Nem quero sentir o amago ou o penoso caminho
Nem reverter o quadro que a vida diz que desejo
Quero sentir, pela goela abaixo a água fresca de um beijo

Fugir com o vento

Não vou parar o tempo

E sem parar correrei preso às tuas mãos sedosas
Dançarei em abraços os apetites que o meu corpo tem
Quero encontrar a leveza dos cravos, tulipas ou rosas
As flores de um jardim que te querem sentir

Vem…

Não vou parar o tempo

A vida muda constantemente
Os olhos se movimentam em várias direcções
O sangue ferve em amor, nas veias de um louco que sente
E sem parar desejam a união de dois corações

Vem…

Não vou parar o tempo

Quero viver o resto deste ciclo, sem que te perca um segundo
Sem mudar de estilo, sem sentir sofrimento
E sem parar o pensamento, eu mudarei o teu mundo
Quero parar a monotonia desta rotação que nos ampara
Sem parar a mudança do teu sorriso, do teu olhar

Vem…

Seremos os dois a força e o exemplo de quem quer amar
E sem parar seremos a vida de um amor, que não pára

Vem…

Não vou parar o tempo… Que nos separa


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.