Número total de visualizações de página

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Lágrimas que soltei

Lágrimas que soltei

Tentei dizer-te em silêncio
O que tanto te queria dizer a gritar
Meu coração pulsou desgovernado
E se eu te disser, que tentei sonhar
Prometer que quando acordasse,
não precisasse de gritar, por te amar
Por te querer  silenciosamente apaixonado

Não vou chorar, mas sinto frio
Lágrimas de amor que soltei um dia no rio

Tentei ao olhar que me sentisses
Por isso te olhei incessantemente
Meu coração pediu que regressasses
E me olhasses
Mas que de verdade me dissesses e não me mentisses
Com esse olhar lindo… Belo… Doce
Como só tu sabes fazer, suavemente

Não vou chorar, mas sinto tremuras
Lágrimas que soltei pelo amor… Loucuras

Tentei levar-te ao dobrar da esquina
Queria beijar-te, ainda tentei pegar-te na mão
Mas tu… Com teu olhar de céu
Fugiste de mim e eu senti como golpe de esgrima
Um coração que pulsava de emoção
Somente por um beijo meu e teu

Não vou chorar, mas sinto a tua ausência
Lágrimas que soltei por não ter paciência

Tentei abraçar-te para sentir o quente do teu sorriso
Queria que me desses o mar
Queria que me desses o sonho de rebolar
Num corpo que peço, num desejo preciso
Um dia… Sim um dia… Vou-te roubar
E contigo passear no silêncio do meu gritar

Não vou chorar, mas não te esqueço
Lágrimas que soltei por ti… Porque te mereço


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.