Número total de visualizações de página

domingo, 14 de julho de 2013

Anjo que sente

Anjo que sente

Te sinto possuidora dos defeitos e das virtudes
Te quero divina, a primordial do meu ser que ama o romance
Deusa das paixões, do amor, das boas atitudes
Gestora dos gestos sensuais quando em transe

Te sinto absolutamente…

Sinto os teus auspícios espasmos, meu privilegio desfrutado
Metamorfose que em mim se transforma em vários odores
A melancia, a maçã, a pera, a banana… Tudo bem descascado
Fruta madura que sinto como se fossem fragrância das flores

Te sinto absolutamente…

Como se fosses a hera que trepa as pernas de granito, querendo luz
Pilar que me faz lembrar um falo gerado pelo impacto do teu olhar
Grotesco gemido sem eco, sem som, a minha cruz
O pecado de te desejar assim… deusa do meu amar

Te sinto absolutamente…

Diz se sentes vontade, em me ver no tapete debruado a cetim
Eu deitado a olhar os folhos delicados que gritam, como lava de um vulcão
Vermelho berrante… Quando eu te chamo para mim
O chão sente e abafa a estucada… O teu corpo… O meu corpo… Emoção

Te sinto absolutamente…

A força e o suor fazem-me sentir o animal que se afirma poderoso
A esperteza e o sorriso fazem-me sentir um homem nu
A avidez e o gemido fazem-me sentir o néctar mais cremoso
A candura e a beleza fazem-me sentir que tudo… Que tudo és tu

Te sinto absolutamente…


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.