Número total de visualizações de página

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Desnudar

Desnudar

Desnudo-me como quem despe a cortiça.
Minha pele, minha alma
Minha vontade, tua preguiça
Tua força, minha calma

Casca que me refugia
Do pecado
Meu fado
A luz do amor, à luz do dia.

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.