Número total de visualizações de página

sábado, 18 de agosto de 2012

Se Ele voltar


Se Ele voltar

Terei vergonha...
Temo que riam de mim
Se me descalço
Sou o falso
Sou o ruim
Se deixo crescer o cabelo
Serei o mendigo
Vagabundo
Sou eu quem o digo
Tenho vergonha deste mundo
Não devo merecê-lo
Se deixo crescer barba e bigode
Talvez digam: É um triste
Alguém que não pode
Alguém que não resiste
Imagino-me na rua pregando
Vejo olhares desconfiados
Pessoas a rirem de mim
Pessoas murmurando
Gritos a mim denunciados
Imagino-me devorado até ao fim
Terei vergonha...
Imagino O meu Deus
O meu Senhor
Descendo á terra
Falar do lindo Altos Céus
Falar de amor
Apagar a guerra
E o meu povo
O povo que já não quer ouvir,
vai abandoná-Lo de novo
Crucificá-lo
E deixá-Lo partir
Imagino-me sozinho
A limpar-Lhe o rosto, Seu sofrimento
Terei vergonha...
É assim que imagino, se Ele voltar
O mundo parou neste momento,
para com o Senhor
O meu altar
O meu amor

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.