Número total de visualizações de página

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Chegou a noite


Chegou a noite

Chegou a noite e o escuro apoderou-se
O silêncio denegriu o pensamento
Já não vejo sequer o lençol
A luz não existe, apagou-se
Lá fora nem o vento...
Já esqueci a cor do sol
A noite, és tu quando ausente
O silêncio são as palavras que já não dizes
O lençol que não vejo é o teu sorriso
A luz que não existe, é o corpo que não mente
Lá fora o vento, não deixa cicatrizes
E eu já esqueci a cor que preciso
O teu sol...
Chegou a noite que será infinita
O caminho não encontro neste escuro
A luz que não existe era a cor de girassol
A cor mais bonita
É noite e a tristeza me faz sentir mais puro
Chegou a noite e eu acredito
Que a saudade ilumine o infinito
O escondido desejo
Que uma luz se acenda
Que esta noite sinta o teu perfume num beijo
Que Deus me oiça e me dê essa prenda
Que esta noite no escuro te possa ver
Que no silêncio te possa ouvir
Que eu nesta noite consiga ter
A luz do teu sorrir
E que o escuro infinito, tenha fim
Acende a luz, vem para mim

José Alberto Sá

1 comentário:

  1. Meu Deus....que belo..em silencio,no mergulhar do escuro, no perpetuar dos sonhos,que essa chama não apague...

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.