Número total de visualizações de página

quarta-feira, 28 de março de 2012

Não consigo ter


Não consigo ter…


Não consigo ter maldade

A vida, essa corredora do tempo

Começa na mocidade

Levada no vento

Não consigo ter vaidade

A vida, essa devoradora de segundos

Começa em liberdade

Acaba vadiando pelos mundos

Não consigo ter vontade

A vida, essa luz que me acompanha

Começa na puberdade

No inundar da entranha

Não consigo ter castidade

A vida, essa luxúria sensual

Começa em qualquer idade

Numa vontade carnal

Não consigo ter a realidade

A vida, essa maravilha de luz

Começa na minha vontade

Acabando por ser minha cruz

Não consigo ter luminosidade

Começo por ter a mente confusa

Acabo por ter na mentalidade

O prazer da minha Musa

Não consigo ter, mas ela é verdade

Começa sem volta, sem ida

Acaba na minha vontade

O amor da minha vida


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.