Número total de visualizações de página

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Já só quero


Já só quero


Já não tenho medo

Já sonho sem receio

Já não transporto enredo

Já sou felicidade, o meu meio

Já sou a gaveta aberta

Já sou a foto com sorriso

Já sou o relógio que desperta

Já não sou o mundo indeciso

Já não sou o disco riscado

Já não sou o tempo que passou

Já não sou o gesto malcriado

Já sei dar valor a quem me amou

Já sei sentir o coração

Já sei escutar a lembrança

Já sei estender minha mão

Já voltei a ser criança

Já voltei a ser o sol a raiar

Já voltei a ser, o astro meu

Já voltei a ser flor, o girassol

Já só quero ser o mar, ser eu


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.