Número total de visualizações de página

domingo, 12 de junho de 2011

Metade

Metade

Por vezes estou ausente…
Mas…
Me lembro sempre de ti.
Vives a meu lado…
Sonho contigo…meu presente
Das coisas que de ti li…
E acordando enlouqueço enamorado.
Pobreza e felicidade
Mas…nunca sós.
Quanta verdade…existe em nós
Que se na mesa houver pão
para ti será metade.
Curvo-me para ti em devoção
A minha essência por ti chama
A ti dedico todo o meu coração.
Linda! Formosa, quem te não ama!
A tua voz…timbre de cristal
Pura cristalina…tão bom te ouvir sorrir
Menina dos olhos meus, sem igual
Quantas vezes te ligo, só para te ouvir
Sinto que por vezes estás triste
e…
logo fico igual a ti…
meu coração não resiste
Quase morre de saudade
Em palavras que escrevi
Podes ler…é amor
Podes sentir…suavidade
Podes tocar…como numa flor
Podes me ter…sou de verdade.
A tua metade.

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.