Número total de visualizações de página

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Se nua!

Se nua!

Por cada peça tirada, solto um sorriso em sofrimento
Perco a lucidez
Desaperto a robustez
E agarro com tenazes a ansiedade do momento

Por cada olhar por ti acima, sou mártir dessa tua delícia
Cruzo as pernas
Olho montes, ondulações e cavernas
E agarro amedrontado pelo desejo de um coração sem malícia

Por cada suspiro, incha-me a boca com a tua
Não consigo parar…
Só consigo amar…
E agarro tacteando toda a hipótese de seres minha… Nua

Por cada peça tirada… Quero… Peço… Vou…
Abro a boca sequiosa
Suado pelo amor de uma rosa
Que agarrada e se sente amada, pelo homem que sou


José Alberto Sá

terça-feira, 1 de setembro de 2015

É por ti!

É por ti!

É por ti!
E é em amor que digo: Sem ti quem eu seria!
Os braços de pele de cereja estremecem comigo
O coração acelera e os corpos…
O teu corpo e o meu se amam
no mesmo abrigo

É por ti!
E é em amor que digo: Sem ti eu morreria!
O tempo passa e faz brilhar o meu olhar
Meus olhos te recebem e te amam
E cada lágrima que derramam
É de amor e felicidade por te amar

É por ti!
E é em amor que digo: Sem ti nada poderia!
O beijo que amarra o nosso salivar, é doce mel
E os lábios que dançam, jamais se cansam
E é por ti que digo: Como te amo!
Amo igual ao que escrevo no papel
E as palavras que dormem são harmonia,
nas estrelas e na lua que abraçam

É por ti!
E é em amor que digo: Sem ti por onde eu ia!
Ia por esse mundo agressor
E por ti…
Digo: Ponho-te sobre tudo, sobre a noite, sobre o dia
Como em tudo e com amor, Deus me soube pôr

É por ti!


José Alberto Sá